Nossos Projetos

Assista ao clipe Memória da Flor no Hotsite, que tem a participação especial do Ney Matogrosso.

Sim, nós podemos. Essa frase está um tanto batida, mas ela cai como luva neste momento. O show de lançamento do CD Memória da Flor, do cantor e compositor Júnior Almeida, foi uma prova de que atingimos técnica e esteticamente alto nível de produção aqui em Alagoas.

Resultado de dois anos de intenso e cuidadoso trabalho assinado por Sue Chamusca, o show aconteceu no último dia 20, no Teatro Gustavo Leite – Centro de Convenções de Maceió –  e arrebatou completamente a plateia durante aproximadamente 1h40 minutos de espetáculo.

Aos olhos do público, tudo era uma grande e saborosa novidade milimetricamente realizada ao vivo. Logo na abertura da noite, a exibição do belíssimo clipe da faixa título arrancou elogios rasgados e lágrimas até mesmo dos mais contidos.

Dirigido por René Guerra e com a produção da Preta Portê Filmes, o clipe apresentou imagens em preto e branco com uma plasticidade comovente e rara hoje em dia. Na telona de quase 14 metros de comprimento e 7 de altura, colocada estrategicamente na boca de cena, Júnior Almeida movia-se como se ator fosse, alternando a sua imagem com o multifacetado e talentoso Ney Matogrosso. Destaque também para a participação de Olodum Serafim, um anjo negro exuberante e de energia feminina perturbadora.

Ao término da exibição, outra surpresa. A sincronia perfeita entre a última cena do clipe e o primeiro “ataque” da banda no subir lento da tela branca, teve como pano de fundo a luz vermelha densa e quase palpável criada por Eris Maximiano. A sensação era de que uma obra prima estava sendo criada ali, naquele exato momento.

Daí por diante a música invadiu os ouvidos de todos generosa e harmonicamente. A qualidade do som, aliás, foi outro ponto bastante elogiado do show. “Parecia som de estúdio”,  esse era o comentário geral.

O som perfeito e a elegância das palhetas de cores deram o tom aconchegante, instigante do espetáculo onde Júnior Almeida presenteou a plateia com as 10 músicas de Memória da Flor e outras 8 composições que não integram o seu 4º e novíssimo CD, mas que são importantes dentro da sua trajetória artística.

A cada canção, aplausos calorosos, assovios e palavras de bravo. E a cada música, um novo quadro de matizes de cores variadas, mas elegantemente trabalhadas, preenchia o olhar atento e cúmplice de todos.

A cumplicidade também era explicitamente notada no palco. Júnior Almeida desfrutou da companhia dos músicos-parceiros Toni Augusto (guitarra, violões  e caxixi), Dinho Zampier (teclado e programações), Fabinho Oliveira (baixo elétrico, Fretless e baixo vertical), Márcio Cavalcanti (bateria, pandeiro e moringa) e Bruno Palagani (cavaquinho, bandolim e guitarra baiana).

O roteiro impecável, elaborado cuidadosamente por Sue Chamusca, foi o seguinte: no primeiro bloco, A Poesia (parceria com Danielle Cândido), O Presente, À Toa (parceria com Vera Rocha) e Catarina (parceria com Fernando Fiúza). No segundo bloco, canções que marcaram a carreira do cantor e compositor alagoano, como Custe o que Custar (de Roberto Carlos), Verde e A Cor do Desejo (parceria com Ricardo Guima).

Dando sequência, vieram Pequenas Misérias (parceria com Fernando Fiúza) e O Cavaleiro e os Moinhos (João Bosco). Um dos momentos mais emocionantes foi o duo com Irina Costa na canção Tal Sol, Tal Homem, Tal Maria. Em seguida, vieram Ser-te-ei Teu (parceria com Ricardo Cabús), Poema nº 8 (de Júnior Almeida e Arriete Vilela), Nem Uma Pétala (parceria com José Silva Ferreira ) e Parabolicamará (de Gilberto Gil).

Outro momento marcante do show foi a brilhante participação de Olodum Serafim na música que dá título ao disco, Memória da Flor (outra composição em parceria com José Silva Ferreira). Para encerrar, Júnior Almeida cantou Seu Perdão (sua mais nova composição) e Os Sinais, canção dele que está no mais recente CD de Mart’nália.

Após o show, um emocionado Júnior Almeida se dirigiu ao foyer para autografar os CDs. Na fila, praticamente todo os seus parceiros nas composições do disco, amigos, parentes, fãs, colegas, admiradores e pessoas que não conheciam o seu trabalho, mas que a partir de agora vão ouvir com cuidado e carinho o que este artista tem a dizer. Pronto, foi dada a largada de Memória da Flor… Agora é desejar longa estrada  para este nosso projeto.

Veja o site do projeto.

Redes sociais de Júnior Almeida